Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



fcp.png

O "estado de coisas" resultante da Revogação do Estatuto Unificado de Pessoal da EDP e também da Separação de Instrumentos de Regulamentação de Trabalho, para o Grupo EDP e para o Grupo REN, que se consubstanciam nas actuais versões dos Acordos Colectivos de Trabalho do Grupo EDP (ACT/EDP) e do Grupo REN (ACT/REN) em vigor, tem provocado inumeros comentários e debates nas redes sociais. 

 

Designadamente por terem provocado uma enorme "PERDA" de Direitos Adquiridos e Regalias Sociais PARA TODOS.

 

Sem que tivessem sido esboçadas quaisquer tentativas de "RESISTÊNCIA" em matérias-chave, como são as Carreiras Profissionais (para os trabalhadores) e/ou o Esquema de Saúde (para os refomados e pensionistas).

 

Tudo devido à enorme "FALTA DE TRANSPARÊNCIA" ...

 

de todas as acções subjacentes aos processos negociais, que nos conduziram a todos aos novos ACT/EDP e ACT/REN actualmente em vigor, e que foram promovidas por todas as partes envolvidas (entenda-se os parceiros patronais, os parceiros sindicais e a Estrutura Representativa de Trabalhadores / Comissão de Trabalhadores),

 

através de INÚMERAS "OMISSÕES"...

 

nomeadamente junto de todos aqueles que já não estavam nos vários locais de trabalho (ou sejam, os reformados e pensionistas).

 

Daí que, hoje em dia, ainda se encontre milhares de reformados e pensionistas, que desconheçam do "esvaziamento" de competências e funções das Comissões de Trabalhadores, resultante da revogação do EUP/EDP.

 

Culpados ???

 Somos TODOS !!

 

Mas, necessariamente, há uns mais "culpados" do que outros.

E, neste contexto, a "TROIKA" composta pela Frente Sindical/UGT, constituída pelos sindicatos filiados na UGT e alguns sindicatos independentes, e liderada pelo Sindel e pela sua liderança bicéfala (de Angelo Pereira e de Rui Miranda) e pela Frente Energia/CGTP, constituída pelos sindicatos filiados na CGTP, e liderada pela Fiequimetal (de Daniel Sampaio), e na qualidade de parceiros sindicais mais representativos, são os MAIORES CULPADOS, de todas as "Perdas" de Direitos e Regalias Sociais verificadas, mas também,

 

pela FALTA DE HARMONIZAÇÃO ...

 

entre os dois "Universos de Beneficiários", actualmente existentes, que são: o Universo de Beneficiários "oriundos" do ex-Contrato Colectivo e o Universo de Beneficiários "oriundos" de ex-Contrato Individual.

 

 Ora, 

 

tudo isto se pode traduzir, num enorme "DESRESPEITO" de todos, para com todos. Em que todos "ralham" e ninguém tem a "razão".

 

 

Chegado aqui,

 

e também devido à falta de explicações "convincentes" dos principais responsáveis (para todo o sucedido e anteriormente exposto), tenho tomado iniciativas de recurso às redes sociais (designadamente ao facebook), com o firme propósito de "despertar consciências" para o ESTADO DE COISAS, designadamente, no Grupo EDP.

 

E foi assim que,

 

Em consequência de um "debate de ideias" ocorrido na pagina do facebook do grupo fechado "Comunidade edp", entre alguns dos seus membros, a saber (por ordem alfabética): Fernando Pêgas, Filomena Costa Ferreira, Francelina Fragoso, Graça Freitas, João Gonçalves, Jose Ribeiro, Manuel Ferreira e Manuel Luis Sousa;

 

surgiu a "idéia" e também o "compromisso",

 

no sentido da construção de uma "estrutura de raiz", por iniciativa de base de todos os reformados e pensionistas da edp e da ren, na defesa dos interesses dos mesmos, designadamente nas áreas da ACÇÃO SOCIAL, da SAÚDE e do VOLUNTARIADO, junto dos órgãos sociais do Grupo EDP e do Grupo REN.

 

E para denominação social da referida "estrutura" foi proposto

 

 

ENERGIA SÉNIOR

 

A FORÇA SOCIAL dos Reformados e Pensionistas da EDP e da REN. 

 

Reacçoes.png

 (copiado do blog Jornal Online 'efe pe' / sindical)

 

O silêncio não é velado,

é pior por ser doente de receios

e não ser visto um rei que já vai nu

com o desfalecer de leis de trabalho

divorciadas de Estatutos Sociais.

 

Se do quão dificil

é associar reformados da EDP/REN

para formalização duma estrutura

há também o mexer com cadeiras

de enganoso modo de dirigismo.


Que a letra dum fado de Coimbra seja uma reflexão:


"Fecha os olhos de mansinho
Não os abras para ver
A vida de olhos fechados
Custa menos a viver"

(Anónimo - 16-04-2018 19:28)

 

---------------------------------------------------------------

 

 Acho que já devia ter sido feita alguma coisa e há muito tempo.

Mas claro o argumento cobarde, de que 

" eu não vou fazer nada - ainda falta muito tempo para estar nessa situação"

tem vencido sempre.

 

Começam agora a ouvir-se algumas vozes isoladas,

mas ainda são poucas.

 

E de resto não vai dar em nada,

porque " na frente" ou depois na sequência do desenvolvimento da ideia,

aparecerão como de costume as intrigas partidárias ou sindicais ou de classe.

 

De arrependidos está o inferno cheio

e muitos dos que agora odeiam "..... a "TROIKA"

 

composta pela Frente Sindical/UGT,

constituída pelos sindicatos filiados na UGT

e alguns sindicatos independentes,

e liderada pelo Sindel e pela sua liderança bicéfala

(de Angelo Pereira e de Rui Miranda)

e pela Frente Energia/CGTP,

constituída pelos sindicatos filiados na CGTP,

e liderada pela Fiequimetal (de Daniel Sampaio)....."

 

Já lá andaram de mão dada com eles e de cama e pucarinho.

 

Mas antes tarde e com má gente do que nunca,

mesmo que com santos.

(Anónimo - 17-04-2018 17:54)

 

---------------------------------------------------------------

 

(copiado da pagina do facebook do grupo fechado Comunidade edp)

 

Anonimo.png

 

 Boa noite,

Não há duvida que fechar os olhos, custa menos viver,

sonhar acordado é muito difícil e traz-nos, normalmente recordações amargas.


Tudo isto ainda a propósito da reflexão de há dias

sobre o que se poderá fazer para alterar este estado de coisas,

poucos se deram ao trabalho,

ou dizendo de outro modo,

poucos, pouquíssimos,

acreditam que alguma coisa possa ser feita

para mudar o rumo dos acontecimentos,

ou pelo menos para não deixar piorar as coisas.


Um silêncio profundo se fez sobre esta discussão

e eu tenho tentado adivinhar o que irá na mente de cada um daqueles

que deram a sua opinião e que agora se remeteram ao silêncio,

pensando talvez “deixa ver no que isto vai dar”


Já não vivemos os tempos,

em que a palavra de ordem era “É preciso mobilizar a malta”,

mas não há dúvida de que necessitamos de reinventar,

ideias, procedimentos, ações,

que nos levem ao mesmo caminho,

a mobilização dos acomodados.


Normalmente sigo com algum cuidado

os vários comentários sobre estes temas

e é curioso verificar que se levantam

algumas vozes de descontentamento,

mas assim como rapidamente apareceram,

rapidamente desaparecem no meio do desalento.


Peço desculpa aos visados,

mas propositadamente não vou citar nomes,

mas sim citar as suas frases porque me parecem sintomática de uma maioria,

provavelmente da minha idade e que a luta já não tem cabimento na sua vida:

Não vislumbro que tão próximo as coisas mudem para melhor.

Mas o que é preciso fazer para esta bagunçada andar para a frente?


Sou dos cinquenta mil inconformados,

com o rumo que o pacote social levou dentro da edp,

não vislumbro, para mim,

qualquer regalia que eventualmente possa advir,

de uma tomada de posição coesa e robusta,

mas ficaria feliz por ter beliscado a ganância de alguns que no século XXI,

não conseguem olhar para aqueles que os enriquecem,

como seus semelhantes.


Concluo,

pontapeando as consciências entorpecidas e que acreditam,

que as coisas estão mal, mas não há nada a fazer.


NÃO SEI O QUE SE HÁ-DE FAZER,

MAS SEI QUE ALGUMA COISA DEVE SER FEITA.


Grato àqueles que possam dar o seu contributo.

(João Gonçalves - 18-04-2018 01:38)

 

---------------------------------------------------------------

 

Meu caro Amigo.

Se tem andado pelo Facebook,

dever ter dado conta das dezenas de comentários

que tenho escrito sobre este tema.

 

Sozinho escrevi um carta aberta ao CA.

Ainda escrevi uma outra focando o vergonhoso tratamento

que a EDP está a dar à Saúde e Assistência Médica.

 

Desta ultima carta recebi resposta dizendo

que essas questões são com a Comissão de Acompanhamento.

 

O amigo e aqueles que conhecem

estão a ver o Manuel Ferreira a calar-se?.

  

Eu que fui um dos negociadores do

EUP - Estatuto Unificado dos Trabalhadores?.

Não me calo, nunca me calarao!.

 

Estou disponivel para por à disposiçao

dos meus companheiros/as os conhecimentos

que tenho sobre o assunto.

Abraço do Manel Ferreira.

(Manuel Ferreira - 18-04-2018 10:49)

 

---------------------------------------------------------------

 

Meu caro João Gonçalves,

é muito bom verificar a "intensidade" dos seus desabafos,

próprios de alguém que ainda tem e alimenta o "espirito solidário"

entre todos aqueles que pugnam por causas comuns.

 

Ora bem,

já está "consensualizado" da necessidade urgente da criação

de uma estrutura propria e independente para defesa dos interesses

do universo de reformados e pensionistas da edp e da ren.

 

Inclusivamente,

já existe uma denominação: ENERGIA SENIOR - A Força Social

dos reformados e pensionistas da edp e da ren.

 

Agora, há que diligenciar no sentido de formalizar e legalizar

a denominação do grupo, registando-o na entidade competente.

Diligencias essas que já estão em desenvolvimento.

 

Depois, há que promover as diligencias necessárias

para a promoção de recolha de assinaturas.

Que, em meu entender, irão ser conseguidas,

com a realização de Almoços Convivio descentralizados,

que servirão também como uma espécie de

Assembleias Constituintes da ENERGIA SENIOR.

 

Quer o "caminho", quer a "estratégia" iniciais,

serão realizadas em torno destas tarefas burocraticas,

mas que terão de ser efectuadas.

 

De momento, o que importa é apostar no "passa palavra"

por todos os meios ao nosso alcance,

de modo a ajudar a consolidar a BASE DE DADOS

(já criada e gerida por mim),

dos reformados e pensionistas da edp e ren,

para faciliar a circulação de informação e comunicação

entre todos aqueles que queiram aderir a este novo projecto,

pela sua livre e expontanea vontade.

(Fernando Pêgas - 18-04-2018 12:29)

 

---------------------------------------------------------------

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:13


2 comentários

De Anónimo a 16.04.2018 às 19:28

O silêncio não é velado, é pior por ser doente de receios e não ser visto um rei que já vai nu com o desfalecer de leis de trabalho divorciadas de Estatutos Sociais.
Se do quão dificil é associar reformados da EDP/REN para formalização duma estrutura há também o mexer com cadeiras de enganoso modo de dirigismo.

Que a letra dum fado de Coimbra seja uma reflexão:
"Fecha os olhos de mansinho
Não os abras para ver
A vida de olhos fechados
Custa menos a viver"

De Anónimo a 17.04.2018 às 17:54

Acho que já devia ter sido feita alguma coisa e há muito tempo. Mas claro o argumento cobarde, de que " eu não vou fazer nada - ainda falta muito tempo para estar nessa situação" tem vencido sempre. Começam agora a ouvir-se algumas vozes isoladas, mas ainda são poucas. E de resto não vai dar em nada, porque " na frente" ou depois na sequência do desenvolvimento da ideia, aparecerão como de costume as intrigas partidárias ou sindicais ou de classe. De arrependidos está o inferno cheio e muitos dos que agora odeiam "..... a "TROIKA" composta pela Frente Sindical/UGT, constituída pelos sindicatos filiados na UGT e alguns sindicatos independentes, e liderada pelo Sindel e pela sua liderança bicéfala (de Angelo Pereira e de Rui Miranda) e pela Frente Energia/CGTP, constituída pelos sindicatos filiados na CGTP, e liderada pela Fiequimetal (de Daniel Sampaio)....." Já lá andaram de mão dada com eles e de cama e pucarinho.
Mas antes tarde e com má gente do que nunca, mesmo que com santos.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D