Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




CENSURADO ... a pedido

por efepe, em 21.04.18

fcp.png

 

1 - Depois das "fraudes" estatutárias, cometidas por Angelo Pereira e Rui Miranda, sobre a candidatura "Renovar é Preciso" (liderada por mim), para o XI Congresso Sindel (realizado em 2013);

 

2 - Depois da "recusa" de Apoio Jurídico, por parte do Sindel, a uma minha intenção de instaurar um processo contra a entidade patronal, no âmbito do Direito do Trabalho;

 

3 - Depois de Rui Miranda ter servido de testemunha por parte da entidade patronal, numa Acção Civel que instaurei contra a EDP Valor e a uma Hierarquia Directa, por esta me ter "negativado" durante a comissão de serviço (3 anos) em que exerceu o poder hierarquico sobre a minha pessoa;

 

4 - Depois do Processo Disciplinar, instaurado pelo Sindel de Angelo Pereira / Rui Miranda, com a intenção de "expulsão" de sócio do Sindel;

 

5 - Depois da instauração de dois processos crimes, no DIAP - Lisboa, promovidos por Angelo Pereira / Rui Miranda (na qualidade de Secretario Geral e de Secretario Geral Adjunto do Sindel) em que fui constituído arguido pela primeira vez na vida;

 

Eis que ...

 

 Na quinta feira, 19 de Abril de 2018, 

fui "censurado" pela EDP a pedido do Sindel

 

 

Carta18.png

 

Carta18a.png

 

O curioso disto tudo,

 

é que, desde o ano de 1982 até aos dias de hoje, sempre "comuniquei e informei os trabalhadores do Grupo EDP",  da mesma maneira e/ou de modo igual, como qualquer um dos outros "agentes sindicais e/ou sindicalistas" (e dos mais variados "quadrantes" politico sindicais), utilizando os mais variados meios de comunicação (entenda-se a correspondencia escrita com os portes de selo pagos pela empresa, o fax, o telefone, e mais recentemente, o correio electronico e a internet) que a EDP sempre colocou à disposição das mais variadas Estruturas Representativas de Trabalhadores (entenda-se não somente as mais variadas Comissões Sindicais e/ou Insersindicais, como também as Comissões de Trabalhadores, o Clube de Pessoal, a AREP, e agora mais recentemente, e para enorme surpresa minha, os Amigos da Ética e da Transparência na EDP, ao que parece sediados nas instalações da Visconde Valmor em Lisboa, ou seja, as "históricas" instalações da Comissão de Trabalhadores EDP, cujos custos de manutenção são suportados pela EDP, como o são as actuais instalações da Rua João das Regras, na cidade do Porto, onde estão concentradas as "representações" da zona norte, das já referidas ERT's).

 

Isto tudo, 

 

Para dizer que, no que diz respeito ao correio electronico - "especificamente" - sempre utilizei o meu endereço profissional (fernando.pegas@edp.pt) para desenvolver a minha actividade sindical, que exerço em "paralelo" com a minha actividade profissional, desde sempre (ou seja desde 1982).

 

Ao contrário de muitos outros "agentes sindicais ou sindicalistas" que se tornaram "profissionais a tempo inteiro" da actividade sindical (alguns casos há mais de trinta anos, como é o caso concreto de Rui Miranda do Sindel), e cujos custos salariais continuam a ser suportados pela EDP, para além de usufruirem de outros beneficios, como é o caso de serem anualmente avaliados através da "média" da pontuação obtida pelo Departamento a que pertencem, entre outros.

 

Mas voltando à utilização do endereço profissional, importa esclarecer que, a minha "disciplina pessoal" (que decorre da minha "consciência profissional") sempre se foi adaptando à "disciplina empresarial" (designadamente, em conformidade com a evolução tecnologica para o digital).

 

Isto para dizer que, face à facilidade que tenho de aceder ao meu endereço profissional, de qualquer local e a qualquer hora do dia (aliás como acontece com qualquer outro trabalhador edp), NÃO É TOTALMENTE VERDADE que eu exerça a minha actividade sindical "sempre" a partir do meu local de trabalho (sediado na cidade do Porto).

 

Pois, por norma, aproveito a Hora de Almoço e as Horas pós-laborais, para o desenvolvimento das actividades sindicais que implicam a utilização do meu endereço profissional. E sómente, em situações de caracter de urgência, é que eventualmente utilizo o endereço profissional, a partir do meu local de trabalho, para a actividade sindical.

 

Quanto à utilização de endereços profisionais de trabalhadores do grupo edp, importa esclarecer que por "disciplina própria" e desde sempre, ganhei o hábito de utilizar os endereços colectivos (dos departamentos) e não os endereços individuais (dos trabalhadores).

 

Razão pela qual, há trabalhadores que se "queixam" de estarem a receber a mesma informação em duplicado, triplicado ou quadriplicado, em virtude da dificuldade que há, na actualização dos referidos endereços colectivos (dos departamentos) que são da responsabilidade dos serviços informaticos da empresa.

 

Esta minha "metodologia", para o desempenho da minha actividade sindical, seria catalogada de "Bestial", quando estive ao serviço do Sindel, de 1982 a 2015.

Nomeadamente, quando outros parceiros sindicais (concorrentes do Sindel), tudo faziam para "alterarem" aquela minha "metodologia" de FAZER SINDICALISMO !!

 

Após a minha saída do Sindel, passou a ser este, utilizando os mesmos "argumentos" dos outros parceiros sindicais, a combater a minha "maneira e metodologia" de fazer sindicalismo, agora no SINOVAE (projecto sindical ai qual estou ligado desde Novembro de 2015).

 

Por fim, importa esclarecer que todos os trabalhadores, tem a opção e a possibilidade de "recusarem" os ditos e-mails não solicitados e/ou de contrudo desagradavel.

 

"Politicamente falando" ...

a "censura" da EDP, não é mais do que a tentativa de "condicionar" a minha actividade sindical no Sinovae, mas também "condicionar" a minha liberdade de expressão, relativamente a assuntos de natureza sindical. Enquanto que, 

 

"Sindicalmente falando" ...

o pedido de ajuda (e/ou das "queixinhas") do Sindel à EDP, somente vem confirmar a "queda" do Sindel, na luta sindical, que vem "travando" de uma forma partircular com o Sinovae. 

 

E de uma forma muito particular,

 

o Sindel de Rui Miranda "continua apostado"

no meu "ASSASSINATO DE CARACTER" !!

 

como tão bem sabe fazer e dinamizar, pelos locais de trabalho que vão visitando. Para muitos "agentes sindicais" do Sindel de Rui Miranda, a acção sindical se resume a "dizer mal" da minha pessoa. 

 

Reacçoes.png

 

(copiado da pagina do facebook do grupo fechado Comunidade edp)

Censura.png

O SINDEL "não pára" de promover

"assassinatos de caracter" de sindicalistas

"eventualmente incómodos" para o Sindel.

O que dizer a isto ?

 (Administrador - 21-04-2018 11:39)

 

-------------------------------------------------------------

 

Compreende-se que no atual contexto comunicacional

é extremamente grave a utilização dos meios de comunicação

e gestão da atividade profissonal de cada colaborador.

 

 

Infringir o básico dos regulamentos internos da empresa,

é extremamente grave e deve dar lugar a punições.

 (Manuel Luis Sousa - 20-04-2018 22:02)

 

-------------------------------------------------------------

 

Meu caro Manuel Luis Sousa,

talvez importe esclarecer que,

em nome da Paz Social,

e há muitos anos,

a EDP tem colocado à disposição de TODAS AS

ESTRUTURAS REPRESENTATIVAS DE TRABALHADORES,

meios proprios como instalações, equipamentos,

e meios de comunicação

(telefone, fax, correio electronico e inclusivamente internet).

No caso concreto,

da utilização do e-mail profissional dos trabalhadores em geral,

TODAS AS ESTRUTURAS

(AREP, Clube de Pessoal, Comissão de Trabalhadores e Comissões Sindicais)

utilizam os mesmos.

(Administrador - 20-04-2018 22:32)

 

-------------------------------------------------------------

 

Compreendo a situação

porque também estive nesse ambiente de trabalho,

mas reconheço que devem existir meios próprios

destinados á atividade sindical e similares,

que garantam o máximo de privacidade "possível".

(Manuel Luis Sousa - 20-04-2018 22:58)

 

-------------------------------------------------------------

 

Entendo Manuel Luis Sousa.

Mas isso depende muito da

"maneira de estar na vida sindical"

de cada um.

Não são todos iguais.

(Administrador - 20-04-2018 23:18)

 

-------------------------------------------------------------

 

Como é possivel a empresa (Edp)

prestar um "serviço" de correio de um sindicato...

só demonstra o "jogo" duplo

que é efectuado nos ultimos tempos,

é grave e merece uma análise profunda dos trabalhadores,

na forma como a Empresa procede,

saudações sindicalistas.

(Custodio Oliveira - 21-04-2018 00:02)

 

-------------------------------------------------------------

 

Meu bom amigo Custódio Oliveira,

é isso mesmo.

 

 

Salta à vista "desarmada",

o "bom relacionamento" entre a EDP e o Sindel

em contrapartida com o espirito de "intimidação"

a quem "incomode" o Sindel.

 

 

A "promiscuidade" existe

e torna-se perigosa para aqueles

que não se deixam enredar nas teias da "subserviência".

(Fernando Pêgas - 21-04-2018 00:25)

 

-------------------------------------------------------------

 

 Amlgo Fernando Pegas,

esta parceria torna-se perigosa,

porque aplica-se aquela máxima,

se não es por mim es contra mim....

abraço.

(Custodio Oliveira - 21-04-2018 00:50)

 

-------------------------------------------------------------

 

Noutra perspectiva,

é pela inércia sindical "comprometida" com os parceiros patronais,

que cada vez mais estão a surgir "MAUS TRATOS"

sobre uma geração de trabalhadores que está em final de carreira,

totalmente "desprotegida",

e com sinais evidentes de POBREZA ENVERGONHADA !!

(Administrador - 21-04-2018 00:31)

 

-------------------------------------------------------------

 

O Sindel o tal que foi parido pela EDP

e teve como parteiros uns quantos colegas nossos

que venderam a alma ao diabo

em troca de cinco reis de mel coado

e que mais tarde como era previsível foram descartados.

 

 

Contudo deixaram esse pseudo sindicato

que honra lhe se feita

tem cumprido na perfeição ao logo dos anos

a função para a qual ele foi parido.

(Fernando Pereira - 21-04-2018 10:05)

 

-------------------------------------------------------------

 

Caro Fernando Pereira,

só me resta concordar, e assinar por baixo.

Pelo alto teôr de "verdadeiras" e de "honestidade",

como proferiu tais palavras.

(Administrador - 21-04-2018 19:12)

 

-------------------------------------------------------------

-------------------------------------------------------------

 

(copiado da pagina do facebook do grupo fechado Comunidade edp)

 

Na perspectiva de alguns ...

Quando servi o Sindel (de 1982 a 2015), era "BESTIAL"; 
deixei de servir o Sindel passei a "BESTA" !!

Quanto à minha Liberdade de Expressão ...

É minha, só minha, até ao fim da minha vida.

 (Fernando Pêgas - 21-04-2018 01:45)

 

-------------------------------------------------------------

 

Partilho desse sentimento

 (Manuel Luis Sousa - 21-04-2018 11:39)

 

-------------------------------------------------------------

-------------------------------------------------------------

 

 (copiado da pagina do facebook do grupo publico Amigos EDP Setubal)

 

Na perspectiva de alguns ...

Quando servi o Sindel (de 1982 a 2015), era "BESTIAL"; 
deixei de servir o Sindel passei a "BESTA" !!

Quanto à minha Liberdade de Expressão ...

É minha, só minha, até ao fim da minha vida.

 (Fernando Pêgas - 21-04-2018 01:45)

 

-------------------------------------------------------------

 

Entenda-se o "gosto" pela atitude da publicação,

como diriam os nossos irmãos "cadê os outros"

 (João Gonçalves - 21-04-2018 11:33)

 

-------------------------------------------------------------

 

 Meu caro João Gonçalves,

há um certo "OBSCURANTISMO"

promovido pelos parceiros sindicais

(a troco de uma Paz Social "pôdre")

que está "dividindo" os trabalhadores,

para uma determinada "reinação"

de uma classe "média-alta"

que apenas sobrevive com o "mal dos outros".

 

Hoje em dia há "fenomenos sociais"

que há muito poucos anos atrás eram impensáveis,

designadamente na geração que está em final de carreira,

e por conseguinte quase de saída (2020-2021).

 

E deixa-me "apenas" apontar um exemplo,

que me "irrita" profundamente.

 

Entre aquela geração,

e em consequencia do fim dos "automatismos",

há pessoas que ainda aspiram

a levar mais uma BR ou Letra para a reforma

("motivação" muito natural, diga.se).

 

Mas para isso,

precisam de nos poucos anos que faltam,

de obterem uma "pontuação" de seis pontos,

através dos processos anuais de

Avaliação de Desempenho ou de Objectivos.

 

E não é que,

há muitas pessoas que estão vendo

as suas contagens de pontos interrompidas,

por estarem a ser "estrategicamente" NEGATIVADAS.

 

E, chegando ao ponto

em que a minha "irritação" dispara ...

MUITAS E MUITAS "NEGATIVAS"

são a pedido de um parceiro sindical

(que não será muito dificil, adivinhar qual).

Disse.

 (Fernando Pêgas - 21-04-2018 16:32)

 

 -------------------------------------------------------------

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:43



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D