Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Fcp.png

 

O Conselho de Administração da EDP Soluções Comerciais "geringonçou" uma Reestruturação de Unidades de Negócios, contemplando a transferência de recursos humanos para outras empresas do Grupo EDP, nomeadamente para a EDP Comercial, EDP Distribuição, EDP Serviço Universal e EDP Gas Universal.

 

E, a Mobilidade Interna de recursos humanos, foi determinada pela "uniformização" de transferências de trabalhadores, a ser "regulada"  através da figura de Cedência Ocasional, prevista no Regulamento de Mobilidade Interna e Entre Empresas (Anexo II do ACT/EDP 2014). E, com a utilização e preenchimento do Modelo 4 - Acordo de Cedência Ocasional (Art. 11º).

 

Esta "determinação" do Conselho de Administração da EDP Soluções Comerciais, e porventura devido à não existência de uma Comissão de Trabalhadores no âmbito desta empresa, foi dada a conhecer "apenas" a dois parceiros sindicais. A saber: à Fiequimetal (porventura, na qualidade de líder da Frente Energia, afecta à CGTP) e ao Sindel (porventura, na qualidade de lider da Frente Sindical, afecta à UGT).

 

Ora bem,

 

O que salta logo à vista desarmada, a qualquer "conhecedor da complexidade" inscrita no Acordo Colectivo de Trabalho (ACT/EDP 2014), por diferenciar direitos e regalias entre os dois universos de beneficiários, que são:

 

- os trabalhadores oriundos do ex-Contrato Colectivo (abreviadamente conhecido por ACT/EDP 2000); e

- os trabalhadores oriundos de ex-Contrato Individual (maioritariamente admitidos no Grupo EDP, através da empresa de Estudos e Consultadoria, e "integrados" no Contrato Colectivo "apenas" em 2014, aquando da entrada em vigor da versão do novo ACT/EDP 2014),

 

é a "não salvaguarda" do

 

VÍNCULO CONTRATUAL

 

dos trabalhadores oriundos do ex-Contrato Colectivo (abreviadamente conhecido por ACT/EDP 2000).

 

Uma vez que,

 

Nos modelos 4 e 5, previstos para "regular e/ou regulamentar" a Cedência Ocasional, apenas se inscreve a identificação da "Empresa Cedente" e a identificação da "Empresa Cessionária", para além da identificação do "Trabalhador".

 

Genericamente, estes modelos (4 e 5) previstos para a figura da "Cedência Ocasional", são utilizáveis "apenas" pelo universo dos trabalhadores oriundos do ex-Contrato Individual, precisamente por estes não terem que "salvaguardar" o Vínculo Contratual (ao ex-Contrato Colectivo - ACT/EDP 2000).

 

 

Em suma,

 

"UNIFORMIZAR"

(transferências colectivas de trabalhadores)

 

ao abrigo da "Cedência Ocasional" prevista no ACT/EDP 2014, sem acautelar o "vínculo contratual" do universo de trabalhadores oriundos do ex-Contrato Colectivo (ACT/EDP 2000), que sómente pode ser acautelado com a inscrição da identificação de uma 

 

"Empresa Nuclear Cedente" 

 

como está previsto "apenas" nos Modelos 1, 2 e 3 da figura "Cessão da Posição Contratual Laboral" (no Anexo II do ACT/EDP 2014),

 

é contribuir para

 

A "PERDA" DE DIREITOS E REGALIAS

 

uma vez que, os "caminhos" e/ou as "interligações" regulamentares e/ou jurídicas são "diferenciadas", em consonância com a origem dos trabalhadores (do ex-Contrato Colectivo e/ou do ex-Contrato Individual).

 

 

Concluindo,

 

Parece que, os parceiros sindicais "convidados" pelo Conselho de Administração da EDP Soluções Comerciais, para participarem com o seu Apoio à Reestruturação de Unidades de Negócio em questão,

 

NÃO SABEM

(ou tentam ignorar "saber")

 

da enorme complexidade que assinaram, como partes outorgantes que são do ACT/EDP 2014, no que diz respeito em concreto ao ANEXO II - REGULAMENTO DE MOBILIDADE INTERNA E ENTRE EMPRESAS.

 

E, sabendo-se que, 

 

O "índice" de sindicalização é bastante inferior a METADE do total de trabalhadores abrangidos pelo ACT/EDP 2014, É "MUITO ESTRANHO" que o Conselho de Administração da EDP Soluções Comerciais se preocupasse a pedir apoio (???) "apenas" às Frentes Energia e Sindical afectas às duas Centrais Sindicais portuguesas.

 

Reacçoes.png

 

(copiado da Pagina do Facebook de Fernando Pêgas)

A PERDA VC.png

 

No Grupo EDP, através da Reestruturação de Unidades de Negócio em curso na EDP Soluções Comerciais, que também está a implicar Transferências Colectivas de recursos humanos entre empresas (do Grupo EDP), está a ser "potenciada" a PERDA DO VÍNCULO CONTRATUAL, a uma das "Empresas Nucleares Cedentes" (ou seja, à EDP Distribuição e/ou à EDP Produção).

 

Nomeadamente, aos trabalhadores oriundos do ex-Contrato Colectivo (abreviadamente conhecido por ACT/EDP 2000), e que até ao dia 28 de Fevereiro de 2018, desenvolveram a sua actividade profissional na EDP Soluções Comerciais.

 

Mas, que a partir de 01 de Março de 2018, foram "cedidos ocasionalmente" (por 6 ou 12 meses) a uma das seguintes empresas: EDP Comercial, EDP Distribuição, EDP Serviço Universal e/ou EDP Gas Universal.

 

Através de um "acordo consentido" pelas duas Frentes (Energia e Sindical) afectas às duas Centrais Sindicais portuguesas.

 

Por estranho que pareça,

aqueles trabalhadores oriundos do ex-Contrato Colectivo foram desempenhar as suas actividades profissionais para uma das empresas do Grupo EDP (atrás referenciadas) mas ...

 

Deixaram o "Vínculo Contratual" (à Empresa Nuclear Cedente) na EDP Soluções Comerciais.

 

Em suma,

Estamos a assistir no Grupo EDP a uma verdadeira "gerigonça contratual", apoiada pelos parceiros sindicais "nomeados" (pelo Grupo EDP) como os mais representativos, e com sérios "riscos" de PERDA DO "VINCULO CONTRATUAL" para os trabalhadores, não em geral, mas somente para os oriundos do ex-Contrato Colectivo (ACT/EDP 2000).

(Fernando Pêgas - 21-03-2018 12:56)

 

--------------------------------------------

--------------------------------------------

 

O que a EDP esta a fazer não faz sentido,

mas os trabalhadores mais recentes

e os sindicatos têm muita culpa,

porque não estão mobilizados para a luta.

 

Tenho a noção que o enquadramento social não é o melhor....

mas sem luta "eles" fazem o que querem.

(Custodio Oliveira - 21-03-2018 13:33)

 

--------------------------------------------

 

EDP, EDP...

quem a viu e quem a vê!!!...

SAUDADES!

(Maria Margarida Pacheco - 21-03-2018 13:52)

 

--------------------------------------------

 

Verdade . ! É isso mesmo ,!

(Leonilde Sousa - 21-03-2018 14:31)

 

--------------------------------------------

 

Sem dúvida que é verdade.

(Maria Antonieta Neves - 21-03-2018 21:19)

 

--------------------------------------------

--------------------------------------------

 

Meu bom amigo Custódio Oliveira,

permite-me que "assine por baixo" ao que acabas de dizer,

em sinal de concordância a MIL POR CENTO.

 

E que, acrescente,

uma "visão" mais próxima do "teatro das operações"

(entenda-se de uma Mesa de Negociações do Grupo EDP,

que nos ultimos anos tem sido mais de "conversações"

em torno do Acto de Gestão a praticar pelo Grupo EDP,

do que propriamente de "negociações"

entre representantes dos parceiros patronaias

e dos representantes dos parceiros sindicais).

 

Ora, de uma forma muito sintética,

direi que a "traficância de influência e de interesses"

associada a eventuais "troca de favores",

de natureza laboral,

chegou a um extremo tal que,

puramente,

se "brinca" ou se "joga"

com o Vínculo Contratual das pessoas e,

por consequência,

com os Direitos e Regalias dessas mesmas pessoas.

 

Concluindo,

É DEMASIADO "NOJENTO"

O QUE SE ESTÁ A PASSAR

nas ditas Relações Laborais no Grupo EDP.

 

A justificar há muito,

um enorme CONFLITO LABORAL

(entenda-se, todas as formas de luta possiveis e imaginarias).

(Fernando Pêgas - 21-03-2018 15:13)

 

--------------------------------------------

 

Amigo Fernando Pegas,

sei que não é facil esta luta,

mas no contexto atual as redes sociais,

bem utilizadas,

poderão ser uma forma de juntar os trabalhadores

da EDP reformados e pré-reformados

e partir para o sindicalismo à moda antiga

(concentração em Lisboa e Porto)

desmascarar sindicatos com dupla face

e fazer valer os nossos direitos,

abraço.

(Custodio Oliveira - 21-03-2018 19:18)

 

--------------------------------------------

 

Verdade amigo Custódio Oliveira.

O objectivo principal de ter "avancado"

para a construçao de uma comunidade edp,

por aqui pelas redes sociais,

que sirva na sua essencia

para ser uma platadorma de comunicação e informação

entre todos os reformados, pensionistas e trabalhadores do Grupo EDP,

tem a haver com factualidades actuais que se prendem muito

com o ENORME DÉFICE DE COMUNICAÇÃO E DE INFORMAÇÃO

entre "representantes" e "representados",

devido à ausência de debates de ideias,

porventura por interesses e objectivos

muito, mas muito "obscuros".

Para já a "aderência" atingiu um numero simpatico,

que me "motiva" a continuar,

por sentir que estou no caminho correcto.

Abraço.

(Fernando Pêgas - 21-03-2018 21:15)

 

--------------------------------------------

--------------------------------------------

 

É bem verdade o que acontece

mas isto deve-se à ineficácia das estruturas internas

dos TRABALHADORES (mais interessados em tudo

menos na função que devem, pelo menos

manter o respeito que gerações antigas construíram)

 

Atenção REFORMADOS e PENSIONISTAS 

estão preparando a N/morte lentamente dos direitos adquiridos

e consignados na contratação à data

da N/PASSAGEM à situação de REFORMADOS.

 

 

Que a idade não arrefeça as nossas forças,

vamos lutar contra aqueles que estão numa empresa

que é o que é

pelos milhares de TRABALHADORES CONSTRUIRAM...

(Jose Queiroz - 21-03-2018 17:40)

 

--------------------------------------------

 

Há muito que somos só um número

a ver discriminacoes, e a familia que era

a Empresa a desmoronar se completamente

com colegas

--------------------------------------------

 

(Continuacao)

com colegas a ajudar

com o mau ambiente que provocam,

pensando que ganham muito com isso,

e a julgarem se donos da empresa

(Maria Antonieta Neves - 21-03-2018 21:19)

 

--------------------------------------------

 

É isso mesmo José Queiroz.

Continuas com as "caracteristicas" do Queiroz

que conheci há muitos anos atrás.

Abraço.

(Fernando Pêgas - 21-03-2018 21:19)

 

--------------------------------------------

--------------------------------------------

 

Só os reformados poderão fazer valer os seus direitos,

porque o respeito, esse já foi há muito.

(Abilio Monteiro - 21-03-2018 18:02)

 

 --------------------------------------------

 

Amigo Abílio Monteiro,

confesso que a actual "DESPROTECÇÃO SOLIDÁRIA"

que existe em torno dos Reformados e Pensionistas da EDP,

que me assusta e me preocupa profundamente.

 

Pois, até 2014, as questões com maior interesse

para o universo de reformados e pensionistas

(designadamente o Esquema de Saúde da Savida

e outras regalias sociais consagradas no EUP)

estavam sob a competência da

Comissão de Trabalhadores da EDP.

 

A partir de 2014, com a Revogação do EUP,

promovida e realizada

(nas "costas" de todos os Mutualistas),

entre a "deslealdade" do parceiro patronal

(Grupo EDP),

a "sumissão" da Comissão de Trabalhadores

e a "inércia" dos parceiros sindicais,

e com a consequente "integração" no ACT/EDP 2014,

 

 

os REFORMADOS E PENSIONISTAS EDP

passaram a ficar totalmente "abandonados à sua sorte",

 

 

em virtude do "esvaziamento de competências"

da Comissão de Trabalhadores EDP e

da "falta de vocação" dos parceiros sindicais para defenderem

as Regalias Sociais (consagradas no EUP/EDP).

 

 

Recordo que, no ambito do Grupo EDP,

os parceiros sindicais sempre tiveram orientados e vocacionados

para defenderem os Direitos (consagrados no ACT/EDP).

 

O melhor exemplo, que poderei apontar,

para o que acabo de dizer,

é a questão da Tabela de Ajudas de Custo.

Esta matéria, até ao ano de 2014,

era da competência da EDP,

após auscultação da Comissão de Trabalhadores.

 

A partir de 2014, com a "integração" desta matéria no ACT/EDP,

a "esfera da competencia" foi alterada para o ambito

dos parceiros patronais e dos parceiros sindicais.

 

No entanto, desde 2014,

que as partes outorgantes do ACT/EDP

ainda não ajustaram a nova realidade,

simplesmente,

pela falta de hábito na discussão desta matéria.

 

 

Mas, infelizmente,

há mais exemplos idênticos a este.

 

ESTA É UMA "DURA" E "MUITO TRISTE" REALIDADE

DO MOVIMENTO SINDICAL DO GRUPO EDP.

Disse.

 (Fernando Pegas - 21-03-2018 22:48)

 

--------------------------------------------

--------------------------------------------

 

Com tudo o que se está a passar,

e como reformada,

fico cada vez mais apreensiva!

(Judite Gomes Afonso Oliveira - 21-03-2018 23:43)

 

--------------------------------------------

 

Sem dúvida, Judite Gomes Afonso Oliveira,

a "APREENSÃO" está a tomar conta de muitos de nós.

 (Fernando Pegas - 22-03-2018 11:12)

 

--------------------------------------------

--------------------------------------------

 

A apreensão deve ser generalizada.

Que se está a passar com os sindicatos?

Já não há representantes dos trabalhadores e reformados?

 

E a notícia que apareceu hoje nas redes sociais

sobre o valor a restituir aos consumidores?

 

Parece anedótico.

Não sei o que pensar de tudo isto que aqui foi transmitido.

Gostava de estar mais esclarecida.

Sou reformada mas ainda não estou morta...

(Francelina Fragoso - 22-03-2018 22:01)

 

--------------------------------------------

 

(copiado da Pagina do Facebook do

grupo fechado Comunidade edp)

PerdaVinculoContratual.png

(Administrador - 21-03-2018 13:00)

--------------------------------------------

 

Que saudades da EDP

em que os trabalhadores não eram meros

números e tínhamos valor.

(Jose Domingos Martins Marques - 21-03-2018 13:02)

 

--------------------------------------------

 

Saudades de outros tempos...

(Luisa Moniz - 21-03-2018 13:07)

 

--------------------------------------------

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:54



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D