Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



fcp.png

 

Em continuação do debate de ideias, sobre a temática: 

GRUPO EDP  - Mais uma "Perda" de Regalias Sociais

 

começado no link ...

GRUPO EDP  - Mais uma "Perda" de Regalias Sociais (I)

 https://jornalonlineefepe-sindical.blogs.sapo.pt/104199.html

 

e continuado no link ...

GRUPO EDP  - Mais uma "Perda" de Regalias Sociais (II)

 https://jornalonlineefepe-sindical.blogs.sapo.pt/grupo-edp-mais-uma-perda-de-regalias-104934

 

Vejamos agora, a continuação dos diálogos havidos

nas redes sociais (nomeadamente no facebook).

 

 

--------------------------------

 (copiado da pagina do facebook de Comunidade EDP)

--------------------------------

 

Apregoa-se uma Empresa Eticamente e Socialmente responsável ou não.

(PC Azevedo - 17-10-2018 14:56)

 

--------------------------------

 

Meu caro PC Azevedo a responsabilidade ética e social acontece "apenas" no papel.

(Fernando Pêgas - 17-10-2018 15:20)

 

Pois

(PC Azevedo - 17-10-2018 15:44)

 

--------------------------------

 

Esta resposta, faz-me lembrar um episódio que passei há uns 2/3 anos.

Entrei num local em que colegas de muitos anos depois, pareciam cordeiros numa coisa que mais parece um caal center.

como falo alto e conhecia toda a gente, pois fui quem os integrou das câmaras, na EDP, lá estava na conversa com muitos (mas poucos) quando vi um desconhecido a rondar e que depois me diz que estava a falar alto.

Virei-me, olhei para ele e respondi-lhe que "na casa onde nasci", ninguém me mandava falar baixo.

Ele virou costas e todos e, eram todos, a sorrir, viraram-se para mim e me disseram que era o chefe.

Hoje vou lá, porto-me como sempre me portei com os colegas e nunca mais ninguém me chamou à atenção de que falava alto.

Agora interrogo: será porque só há uma porta de saída?

Que ninguém se meta com o😈, porque pode sair queimado.

Outra destas, passada há muitos anos, estava a ser formada a EDP, fica para depois.

(Jose M Monteiro - 17-10-2018 15:54)

 

--------------------------------

 (copiado da pagina do facebook de Comunidade EDP)

--------------------------------

VelhoJuvenal.png

(Fernando Pêgas - 18-10-2018 23:26)

 

--------------------------------

 (copiado da pagina do facebook de Comunidade EDP)

--------------------------------

UGT.png

 

A MINHA REFLEXÃO DE HOJE ...

 

A UGC / UGT agendou para hoje a realização da Conferência "Pessoas com Deficiência. Igualdade de direitos. As mesmas oportunidades"

 

No entanto, a Frente Sindical UGT (liderada pelo Sindel Energia) no âmbito do ACT/EDP 2014, NADA FAZ para combater o Fim do Complemento ao Subsidio para Descendentes Deficientes.

 

Concluindo, CURIOSA "HIPOCRISIA" !!!

 (Fernando Pêgas - 19-10-2018 23:59)

 

--------------------------------

 (copiado da pagina do facebook de Comunidade EDP)

--------------------------------

EmpresaFamiliarmenteResponsavel.png  

No passado dia 12 de Outubro de 2018, na plataforma intranet.edp foi divulgada uma noticia com o titulo 

"SOMOS UMA EMPRESA FAMILIARMENTE RESPONSAVEL".

 
Ora,
 
na perspectiva externa (ou melhor na perspectiva de consumidor de energia electrica fornecida pela EDP) se calhar até estou de acordo com o título "Somos uma Empresa Familiarmente Responsável".
 
Mas,
 
na perspectiva interna (ou melhor na perspectiva de trabalhador EDP), e depois de tomar conhecimento do Fim do Complemento ao Subsidio para Descendentes Deficientes, e de outros "maus-tratos" (na perspectiva dos Direitos e das Regalias Sociais), garantidamente estou em desacordo com o título "Somos uma Empresa Familiarmente Responsável",
 
chegando mesmo a questionar se não será uma "FAKE NEW" que ande por aí ... !!!
 (Fernando Pêgas - 20-10-2018 17:19)

 

 

--------------------------------

 (copiado do blog Jornal Online 'efepe' / sindical)

--------------------------------

MarioOliveira.png

--------------------------------

 (copiado da pagina do facebook de Comunidade EDP)

--------------------------------

Mario Oliveira1.png

 (Fernando Pêgas - 22-10-2018 11:41)

 

 --------------------------------

 

Pois é companheiro, a coisa (o mercado) mói mói e vai enfraquecendo o movimento síndical, a velha máxima que cada um tem o que merece aplica-se aqui, só que há sempre quem seja contemplado sem ter culpa.
Acredito ter sido um erro, mas ao fim de cinquenta e tal anos de sindicalizado, com alguns de delegado fui desamparado quando precisei, a mística desapareceu, restam poucos.

(Moedas Ribeiro - 22-10-2018 13:07)

 

--------------------------------

 

A nossa desmobilização resultou nisto.

Como será o futuro??

(Manuel Luis Sousa - 27-10-2018 22:24)

 

 

Desculpa Luís não se desmobilizou, acomodou-se, deu como adquirido tudo o que conseguiu e pior ainda deixou que os sindicatos chegassem ao que são hoje, um conjunto de pessoas acomodadas.

(Antonio Calçada - 28-10-2018 11:52)

 

 

Não António Calçada, não há acomodação nenhuma.

Há é a constatação de um conjunto de trabalhadoras e de trabalhadores "impotentes" com tudo de mau que o ACT/EDP 2014 "trouxe" para as suas vidas profissionais e pessoais, e SEM MAIS CONFIANÇA (nos Negociadores Sindicais), e consequentemente, desapoiados, descrentes, desorganizados, e a aguardarem em fila de espera pelo dia que possam sair do Grupo EDP sem mais penalizações.

Tudo isto, porque as pessoas já começaram a entender e a perceber que FUNCIONALMENTE já não existe nenhum Acordo Colectivo de Trabalho no Grupo EDP (por "morte" em 2014).

TRISTE REALIDADE !!

 (Fernando Pêgas - 29-10-2018 00:00)

 

 

Fernando Pegas para mim é muito redutor pensar-se assim há causas mais profundas que importa explorar

(Antonio Calçada - 29-10-2018 18:47)

 

 

As causas mais profundas são os trabalhadores, reformados e pensionistas não terem sido "ouvidos" e, por via disso mesmo, não terem a possibilidade de apresentarem e proporem os seus anseios e interesses.

Em suma o modelo do "triângulo invertido" não foi posto em pratica, tendo as direcções sindicais "imposto" os seus interesses e anseios.

O ERRO ESTÁ AQUI !!!

 (Fernando Pêgas - 29-10-2018 21:02)

 

--------------------------------

 

António Calçada o que o Moedas Ribeiro diz é verdade só, digo só quem passa por elas quem sofreu na pele sabe a dura realidade do SINDICATO. 2009

na pré reforma desde 2001, sindicalizado, fui durante 10 meses enganado pelo meu sindicato, para o recebimento de um seguro de vida, a resposta era sempre a mesma A seguradora,

até que um dia resolvi telefonar para a seguradora e aí fiquei a saber tudo, as listagens do sindicato não estavam correctas, mais não digo.

Um mês durou o recebimento de um outro seguro de vida feito através do Clube de Pessoal.

Isto é o quê?. Que nome se pode dar?

 Em finais de 2009 escrevi uma cara ao secretário geral do meu sindicato, descrevi tudo o que se passou, anulei a minha filiação, e nem uma linha de resposta.

Recentemente um colega nosso sindicalista durante muitos anos também desabafava o seu desencanto com o sindicalismo.

Seria da UGT, da CGTP nessa não entro era de TODOS.

 (Emidio Fevereiro - 29-10-2018 02:13)

 

 

Emídio Fevereiro Nao tenho dúvidas nenhumas que têm razão, tenho sido uma voz crítica para com os sindicatos.

Tenho observado com muita preocupação o posicionamento dos sindicatos relativamente à defesa dos direitos dos trabalhadores o que na minha opinião não tem feito nada.

(Antonio Calçada - 29-10-2018 13:13)

 

--------------------------------

 

Os sindicatos querem e lá o dinheiro das cotas!

E resolver o problema dos associados não querem saber é o deixar andar.

 (To Carapuço - 29-10-2018 19:41)

 

Passa tudo por consciência sindical, um sindicato não é uma agência de negócios, os dirigentes são eleitos, a falta de participação dos sócios responsabiliza pouco os eleitos, essa é a situação dos últimos vinte anos, pode ser que apareça nova forma de representatividade.

(Moedas Ribeiro  - 29-10-2018 21:59)

 

Não deixando estar de acordo com o Moedas Ribeiro, direi que é urgente regressar ao modelo do "triangulo invertido" para que as bases possam estar "comprometidas" e "participativas" nas estratégias definidas pelas Direcçções Sindicais.

Está visto que não resulta as Direcções Sindicais "imporem" o que quer que seja às bases, porque estas viram as costas e desmobilizam.

A CONSCIÊNCIA SINDICAL referida pelo Moedas Ribeiro passa pelo que acabo de referir.

 (Fernando Pêgas - 29-10-2018 22:28)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:35



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D