Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Jornal Online 'efepe' / sindical

Jornal Online 'efepe' / sindical

OPA EDP - O primeiro mês, que balanço ?

por efepe, em 12.06.18

fcp1.png

 

 

Ontem, dia 11 de Junho de 2018, concluíram-se os primeiros trinta dias, sobre os anúncios preliminares de Oferta Publica de Aquisição (OPA) da China Three Gorges (CTG) sobre o Grupo EDP (EDP) e a EDP Renováveis (EDPR).

 

Tendo em consideração as “movimentações” dos vários interesses envolvidos nas referidas “OPA’s”, poder-se-á constatar que, os Accionistas do Grupo EDP estão “atentos” e “organizados”, tendo como porta voz dos seus legítimos interesses, o Dr. António Mexia (ou seja, o actual Presidente do Conselho de Administração Executivo do Grupo EDP).

 

E que, ainda ontem “desafiou” os chineses a assumir compromisso sobre dividendos na EDP, conforme é referido pelo jornal “Expresso”.

 

Expresso1.png

 

 

E os “interesses” dos trabalhadores, reformados e pensionistas do Grupo EDP como estão “organizados” ?

- Sabe-se muito pouco ou nada.

 

Pois, constata-se um “ENORME SILÊNCIO” por parte das Estruturas Representativas de Trabalhadores.

 

Como foi referido por Luis Moreira à comunicação social (Jornal de Negócios), sabe-se “apenas” que a Coordenadora das Comissão de Trabalhadores do Grupo EDP se iria “pronunciar” após a reunião com a EDP.

 

JornalNegocios.png

 

Na verdade, a reunião da Comissão de Trabalhadores com a EDP já se realizou no passado dia 06 de Junho de 2018. Imediatamente “antes” da Reunião Plenária (havida entre os parceiros patronais e os parceiros sindicais) na mesma data sobre a temática da “OPA chinesa à EDP”.

 

Mas, até à presente data, ainda não foi emitida qualquer comunicação ou informação sobre a “posição” da Comissão de Trabalhadores EDP.

 

 

Por outro lado,

 

Importa realçar que, a Comissão de Trabalhadores EDP “apenas” representa o total do universo dos trabalhadores (ou sejam, todas aquelas e todos aqueles que estão na chamada “vida laboral activa”), na geografia de Portugal. E que à data de 01 de Janeiro de 2018, cujo Número de Trabalhadores era de 5.887 (sendo 2.403 Quadros Superiores e 3.484 Não Quadros).

 

Vem esta “constatação” a propósito de uma outra “contatação” …

 

É que o universo de reformados e pensionistas do Grupo EDP, com uma ordem de grandeza, superior cinco ou seis vezes mais que o universo de trabalhadores,

 

 

NÃO ESTÁ “ORGANIZADO”.

 

Por conseguinte,

 

e à excepção de uma pequena minoria que continua “sindicalizada”, UMA GRANDE MAIORIA DE REFORMADOS E PENSIONISTAS DO GRUPO EDP está simplesmente “à margem” da presente “OPA chinesa à EDP”. 

 

E sem acesso directo, às comunicações e ou informações que vão sendo produzidas na plataforma informática, designada por INTRANET EDP.

 

Em suma, o conhecimento sobre a designada "OPA chinesa à EDP", não está a chegar a todos os interessados.

 

 

Reacçoes.png

  (copiado da pagina do facebook de Fernando Pêgas)

Mexia1.png

(Fernando Pêgas - 12-06-2018 11:47)

 

----------------------------------------------------

 

Tristeza só interessa os lucros e os trabalhadores.

A desumanização da empresa está cada vez mais latente

na maneira como está a ser gerida.

(Isabel Cruz - 12-06-2018 11:53)

 

----------------------------------------------------

 

faço minhas as suas palavras.

O Dr Mexia só se preocupa com o dinheiro

e há tantas outras coisas,

com tanto ou mais relevo que o money.

(Jose Alves Silva - 12-06-2018 12:08)

 

----------------------------------------------------

 

Nunca pensei que chegasse a este nível

uma empresa destas!!!

(Luisa Moniz - 12-06-2018 12:09)

 

----------------------------------------------------

 

Se me dissessem a uns anos atrás

que isto ia acontecer eu não acreditava.

Só posso dizer tristeza.

(Isabel Cruz - 12-06-2018 12:23)

 

----------------------------------------------------

 

Realmente é só pena ninguém estar preocupado

com os direitos dos trabalhadores,reformados e pensionistas.

Principalmente ele que diz á boca cheia

que a EDP é uma empresa no âmbito social.

Não estará antes preocupado com os dividendos

que recebe todos os anos?

(José Domingos Martins Marques - 12-06-2018 12:43)

 

----------------------------------------------------

 

 para muitos estão mais do que bom

(Isabel Moura Araujo - 12-06-2018 12:43)

 

----------------------------------------------------

 

 isto para muita gente na edp é mina de ouro,

(Isabel Moura Araujo - 12-06-2018 12:48)

 

----------------------------------------------------

 

É a destruição de uma grande empresa,

que foi construída com muitas lágrimas,suor, sofrimento e pobreza,

esta gente que vive á custa de todos aqueles que trabalharam

em condições desumanas, não tem humanidade nenhuma,

e mais não digo, pois para dizer tudo,

teria que estar aqui algumas horas a falar de gente

que não merece o meu respeito

(José Asdrubal Rosa - 12-06-2018 13:01)

 

----------------------------------------------------

 

É verdade.

O meu pai trabalhou na UEP

umas das empresas da agora EDP

era guarda fios e morreu electrocutado a trabalhar

passavam semanas em tendas sem vir a casa

trabalho árduo e sem condições

mas o meu pai adorava o que fazia.

Devíamos por os agora gestores a trabalhar nessas condições

para saber dar o valor as pessoas e não aos números.

(Isabel Cruz - 12-06-2018 14:46)

 

----------------------------------------------------

 

Isabel Cruz 

Estes gestores, trabalham para destruírem

o que os outros construíram com muito sacrifício,

são pessoas de gabinetes que de humanos não tem nada

(José Asdrubal Rosa - 12-06-2018 16:22)

 

----------------------------------------------------

 

 É verdade têm tudo de bandeja

(Isabel Cruz - 12-06-2018 16:24)

 

----------------------------------------------------

----------------------------------------------------

 

  (copiado da pagina do facebook de Comunidade EDP)

Mexia1.png

(Fernando Pêgas - 12-06-2018 11:48)

 

----------------------------------------------------

 

Pois!.

O que importa são os dividendos dos acionistas.

É que quanto menores forem, menos recebe de prémio!.

Os trabalhadores, os pensionistas e os reformados?.

Quem são esses tipos?.

Ele quer lá saber deles!.

(Manuel Ferreira - 12-06-2018 12:29)

 

----------------------------------------------------

JoseAbrantes.png

(José Abrantes - 12-06-2018 14:20)

 

----------------------------------------------------

 

Lamento ...muito mas esta ...idiosincrasia

aponta para uma coisa similar a ex pt...

(José A Cristovao - 12-06-2018 17:52)

 

----------------------------------------------------

 

E os sindicatos que fazem? Braços cruzados?

Ou será que interessa nada fazer?!

Verdadeiramente lamentável......................

(Francisco Capão - 12-06-2018 18:09)

 

----------------------------------------------------

 

Pois...

(Vladimiro Vilão Ramos - 12-06-2018 19:38)

 

----------------------------------------------------

 

Sim Francisco Capão ,

é verdadeiramente lamentável

que os sindicatos estejam "divididos" em lobbys.

É o "lobby" dos sindicatos filiados na CGTP.

É o "lobby" dos sindicatos fiiiados na UGT

e alguns "satélides" independentes.

E ainda, os sindicatos independentes "sem lobby".

Este cenário de "divisão" politico-sindical é muito profunda.

E é acompanhada aqui e além com cenas de "hostilidades"

que geram maus estares e algumas "tensões" odiosas.

(Fernando Pêgas - 12-06-2018 20:26)

 

----------------------------------------------------

 

Fernando Pegas 

Dividindo, reinando e talvez tirando proveitos pessoais...,

cada povo tem o que merece.

(Francisco Capão - 12-06-2018 20:36)

 

----------------------------------------------------

 

 Estou totalmente de acordo, Francisco Capão.

É bom que se diga que, os proveitos pessoais são reais.

Eu dou um pequeno exemplo:

Os sindicalistas "profissionais"

(ou sejam os que estão a tempo inteiro

nas varias Direcções Sindicais)

são avaliados pela "média" da pontuação

alcançada pelo Departamento a que pertencem na empresa.

Enquanto os sindicalistas "não profissionais"

e/ou os sindicalistas "por paixão"

que desempenham a carreira profissional

no seu local de trabalho,

e de quando em vez se ausentam do trabalho,

para desempenharem actividade sindical,

são avaliados em concorrência directa

com os restantes profissionais do Departamento,

e "regra geral" devido às quotas,

são negativados.

Levando que os mesmos,

não aufiram o Premio de Desempenho

(aquela verba negociada conjuntamente com a Tabela Salarial)

e não aufiram também a distribuiçao de lucros.

Trago esta realidade aqui,

porque a maioria dos trabalhadores,

reformados e pensionistas do Grupo EDP,

desconhece por completo esta "penalização"

que está associada aos sindicalistas "por paixão".

Já basta a injustiça da comparação genérica.

(Fernando Pêgas - 12-06-2018 20:59)

 

----------------------------------------------------

 

Bem verdade.....

(Francisco Capão - 12-06-2018 21:50)

 

----------------------------------------------------

 

Grande verdade que também senti

no meu tempo de atividade.

(Manuel Luis Sousa - 12-06-2018 23:04)

 

----------------------------------------------------

 

Fernando Pegas 

Pois!. E mais.

Para mim não há quem me convença

que há por uns almoços.

E como se sabe, não há almoços de graça....

(Manuel Ferreira - 13-06-2018 00:30)

 

----------------------------------------------------

 

Meu amigo Manuel Ferreira 

haja o que houver, continuo a pensar que,

a PAZ SOCIAL no Grupo EDP

está a ser muito mal "vendida".

E que, o actual modelo de sindicalismo

(ou seja, as decisões serem tomadas pelas "cúpulas"

no silêncio dos gabinetes das Direcções Sindicais

e posteriormente "impostas às bases")

terá que ser "repensado" com a urgência

que a actual realidade carece e merece.

(Fernando Pêgas - 13-06-2018 11:01)

 

----------------------------------------------------

 

Fernando Pegas 

Claro que há que fazer alguma coisa.

O que é certo é que vejo movimentações nesse sentido

a não ser o que aqui vamos comentando e denunciando.

Há uma apatia quase geral que me deixa muito preocupado!

(Manuel Ferreira - 13-06-2018 11:07)

 

----------------------------------------------------

 

Meu caro Manuel Ferreira,

eu também estou muito preocupado.

Porque entre o pessoal que está na vida activa,

sente-se um "MEDO" instalado,

designadamente entre a malta mais jovem

e um "DEIXA ANDAR"

entre a malta que está em fim de carreira e quase de saída.

Enquanto que entre o pessoal que já está na "vida bella" (da reforma)

sente-se uma enorme dose de "DESCONFIANÇA".

É tudo isto junto,

que está "impedindo" a consolidação de qualquer iniciativa.

(Fernando Pêgas - 13-06-2018 11:32)

 

----------------------------------------------------

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Favoritos