Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Planos de Saúde no Grupo EDP

por efepe, em 25.06.18

fcp1.png

 

De acordo com o Clausulado Geral, do Acordo Colectivo de Trabalho do Grupo EDP, é a CLÁUSULA 103ª (Utilização dos planos de saúde) que está a determinar a divisão dos trabalhadores, reformados e pensionistas do Grupo EDP, bem como os seus agregados familiares, em dois Universos de Beneficiários distintos.  

 

Ou sejam:

- O Universo de Beneficiários da Mútua ou do Esquema Complementar de Saúde, por aplicação da Cláusula 106ª (Âmbito subjetivo de aplicação) e regulado pelo Anexo VIII (Saúde);

e,

- O Universo de Beneficiários do Seguro de Saúde, por aplicação da Cláusula 102ª (Plano Social) e regulado pelo Anexo IX (Plano Social EDP Flex);

 

ACT.Clausula103.png

 

Ora,

 

Por vontade expressa, quer dos parceiros patronais, quer dos parceiros sindicais, o Anexo VIII (Saúde) vai ser levado à Mesa de Negociações, no âmbito do ACT/EDP 2014, para receber propostas de melhoria, algumas delas já apresentadas pelos parceiros sindicais do SIEAP, do Sinovae e do Sindel. 

 

Estando já agendada uma primeira reunião, para o próximo dia 03 de Julho de 2018.

 

 

Das propostas já apresentadas ...

 

(Do Comunicado do Sinovae de 19 de Junho de 2018)

 

PROPOSTAS PARA A SAÚDE

 

O SINOVAE apresentou à Empresa um conjunto de propostas inovadoras para a saúde, que pretende abranger todos os trabalhadores sejam do ACT/2000 ou os do Flex, queremos reverter tudo para um só ACT na EDP.

 

1. GESTÃO DA SÃVIDA

Melhorar substancialmente os serviços de gestão da Sãvida em todos os níveis, desde a Direcção ao Administrativo, corrigindo as sistemáticas falhas duplas interpretações, duplos critérios, demora nas respostas dos serviços e análise de processos, tornando claros os critérios de gestão dos serviços e apoios prestados, através de um regulamento síntese de procedimentos.

 

2. TABELA DE ACTOS MÉDICOS ACTUALIZAÇÃO

Actualização dos valores comparticipados e pagos aos médicos externos e especialistas de modo a retomar uma oferta condigna e disponível, também em locais onde deixaram de prestar serviços à Sãvida devido aos valores pagos pelas consultas.

 

3. OBRIGATORIEDADE DE ESPECIALISTAS

Propomos a obrigatoriedade da contratação de médicos especialistas em centros urbanos com mais de 200 utentes, independentemente dos valores a serem pagos a esses médicos e desde que existam nesses centros.

 

4. TRANSPORTE+CONSULTA

Quando se verificar que num determinado local existe um médico não convencionado, que cobra acima dos valores pagos pela Sãvida, mas que o somatório do valor tabelado da consulta mais o custo do transporte seja superior ao valor a pagar ao médico especialista existente nesse centro deve ser dada a opção para a utilização dos serviços desse médico com o pagamento integral ao mesmo por parte da Sãvida.

 

5. TRANSPARÊNCIA NA UTILIZAÇÃO E NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

Devem ser cada vez mais implementados processos de transparência na utilização e sobretudo na prestação de serviços médicos externos em que alguns clínicos abusam da utilização das credenciais para suprimirem os valores baixos que recebem por consulta.

 

6. MEDICINAS ALTERNATIVAS

Na tabela de actos médicos devem ser incluídas as medicinas alternativas ou não convencionais legalmente reconhecidas, como Naturopatia, Osteopatia, Homeopatia, Quiropraxia, Fitoterapia, Acupunctura, e Medicina tradicional chinesa.

 

Todas estas medicinas são cada vez mais utilizadas pelo SNS nomeadamente em hospitais e centros médicos, sendo que a EDP já apoia um pequeno projecto piloto de Quiropraxia em Lisboa com resultados extremamente positivo para os utentes e com reflexos muito positivos na Empresa.

 

7. ANESTESIAS/COLONOSCOPIAS

Ao abrigo da convenção para a endoscopia gastrenterológica, que garante a colonoscopia associada à analgesia do doente ou seja o recurso à sedação, o SNS implementou este apoio complementar, também a EDP deve reembolsar na íntegra este apoio complementara esta prestação deste exame médico.

 

8. PEDIATRIA

Após a sessação dos serviços de Pediatria aos 12 anos, a EDP deve garantir um total apoio aos utentes após a idade em que os serviços de pediatria se transformam em serviços de clinica geral, passando estes utentes a usufruírem destes serviços em todos os regimes como por exemplo os serviços de urgência.

 

9. FLEX

Para aplicação da continuidade dos serviços e actos médicos aos trabalhadores do Flex, na situação de reforma, deve ser extensivo o Fundo de Saúde já existente na EDP para os trabalhadores do ACT/2000 Saúde, de modo a que este Fundo venha a garantir os apoios e complementos de igual modo a todos os trabalhadores sejam eles do ACT/2000 ou do Flex.

  

A Direcção                                                                                                             19.6.18

 

-----------------------------------------------

 

Há uma proposta apresentada pelo parceiro sindical Sinovae, que aponta para uma determinada "uniformização" , entre os dois Universos de Beneficiários (o da Mútua/Esquema Complementar de Saúde e o do Seguro de Saúde).

 

Foto de Fernando Pegas.

  

Ora,

 

Face a algumas "nuvens" que andam a pairar sobre o Grupo EDP, e em que algumas delas não são muito "claras",  designadamente as "nuvens" resultantes das enormes dúvidas e/ou incertezas em torno da OPA chinesa à EDP ...

 

Porventura, não seria de todo "despropositado", equacionar a possibilidade de "junção" daqueles dois Universos de Beneficiários.

 

Razão pela qual, um dos caminhos possíveis, será

  

a "denúncia" do ANEXO IX

(Plano Social EDP Flex) 

 

no caso de haver um forte e consistente movimento social, entre todos os trabalhadores, reformados e pensionistas do Grupo EDP, no mesmo sentido.

 

Reacçoes.png

 (copiado da pagina do facebook de Fernando Pêgas)

AnexoIX.png

 

No Acordo Colectivo de Trabalho do Grupo EDP (ACT/EDP 2014),

o Anexo IX que regula o Plano Social EDP Flex,

simplesmente "ESTÁ A MAIS" !!

 

Pela simples razão, de ESTAR A "IMPEDIR"

que haja apenas UM UNIVERSO de Beneficiários,

no âmbito do ACT/EDP 2014, ao Direito à Saúde.

 

No âmbito do ACT/EDP 2014, e na discussão de várias matérias,

tem se verificado a existência de um conjunto de parceiros sindicais ...

 

que tem vindo a defender e, porventura, continuarão a defender,

que a abrangência das matérias já discutidas ou ainda a discutir,

 

também devem contemplar o conjunto de trabalhadores oriundos de

 Contratos Individuais e que estão constituindo um Universo de Beneficiários

(conhecidos ou designados por Plano Flex EDP)

"À PARTE"

do outro Universo de Beneficiários "oriundos" do Contrato Colectivo

(ACT/EDP 2000).

 

ESTA "DIVISÃO" DE UNIVERSO DE BENEFICIÁRIOS,

está "dificultando"

a contratação ou a negociação colectiva no Grupo EDP.

 

Em virtude de as "posições sindicais"

estarem "condenadas" a serem "DIFERENTES",

desde o inicio de qualquer processo negocial

passado (desde 2014) ou futuro.

 

Por tudo isto,

e estando em cima da Mesa das Negociações,

a matéria relativa à Saúde ...

 

Porventura, este seria o momento ideal,

no sentido da "REVOGAÇÃO" DO ANEXO IX,

e, por consequência,

a integração dos Beneficiários do Plano Flex EDP

no ANEXO VIII.

(Fernando Pêgas - 27-06-2018 11:21)

 

-----------------------------------------------

 

Isso dito só assim...

Não me parece lá muito correcto.

Deveria haver apenas um ACT com benefícios iguais para todos,

não apenas iguais no âmbito da saúde.

(Rui Proença - 27-06-2018 11:31)

 

-----------------------------------------------

 

Meu caro Rui Proença,

o objectivo único é esse mesmo.

Ora bem, o caminho faz-se caminhando.

E, para se poder caminhar "correctamente"

ter-se-á que "denunciar" ou mesmo "revogar" a ORIGEM

que causa e motiva toda a "divisão"

espelhada e/ou retratada em todo o Clausulado Geral

do actual ACT/EDP 2014.

  

E, a CAUSA "ORIGINÁRIA" DE TODA A DIVISÃO,

como deverás compreender,

são as questões relacionadas com a Saúde

(ou sejam, as diferenças entre a Mútua e o Seguro de Saúde).

(Fernando Pêgas - 27-06-2018 12:06)

 

-----------------------------------------------

 

Caro Fernando Pegas e onde está a defesa ao direito

ao subsídio de assiduidade? Ao subsídio de antiguidade?

A benefícios iguais na electricidade?

Entre tantos outros que espelham

a diferença entre um ACT igual para todos?

  

O mal como dizes e bem e na CAUSA ORIGINÁRIA

que foi a indiferença que TODOS os sindicatos, sem excepção,

tiveram com os trabalhadores "flex".

 

Os sindicatos nunca defenderam um ACT

igual para todos os trabalhadores.

  

O que temos é um ACT para "filhos e outros para enteados"...

Se em matéria de saúde os trabalhadores do antigo ACT

se sentem como "enteados", os trabalhadores do "flex"

sentem-no em todas as restantes matérias.

E sabes porque isso acontece?!

Porque infelizmente os sindicatos

apenas continuam a defender apenas um interesse - o seu.

(Rui Proença - 27-06-2018 12:15)

 

-----------------------------------------------

 

Na altura alertei para isso, que os trabalhadores "flex"

não tinham qualquer representatividade na discussão do ACT/EDP 2014.

O resultado está à vista.

E o que preocupa agora os sindicatos?!

A saúde, as colónias de férias e outros que tais...

Não os restantes temas, aqueles onde saíram realmente prejudicados

os trabalhadores do antigo "flex"...

Os sindicatos continuam a preocupar-se em exclusivo

com os "antigos" colaboradores, eu sei porquê.

Tu sabes porquê.

Mas o porquê não interessa...

(Rui Proença - 27-06-2018 12:25)

 

-----------------------------------------------

 

Desculpa o desabafo mas estou farto dessa ladainha.

Não basta criar novos sindicatos, dizer que somos diferentes.

Não basta parecer há que o ser.

E se existem dois ACT dentro de um,

então que deixem os trabalhadores escolherem qual querem subscrever.

(Rui Proença - 27-06-2018 12:33)

 

-----------------------------------------------

 

Meu caro Rui Proença,

as "diferenças" que apontas e bem,

tecnicamente falando,

não poderão ser "ESBATIDAS"

com o Anexo IX fazendo parte integrante do ACT/EDP 2014.

 

Pois, caso se consiga a Denuncia ou a Revogação do Anexo IX,

TODAS AS OUTRAS MATÉRIAS terão que ser "forçosamente"

reajustadas a esta nova realidade.

(Fernando Pêgas - 27-06-2018 13:12)

 

-----------------------------------------------

 

Boa tarde a todos.

Ao ler todos estes e outros p'osts,

sinceramente (com tristeza) dá vontade de rir...


Por ventura acham que nesta altura do campeonato

há força reivindicativa (isto para os que estão no ativo)

para o que quer que seja ?


Pois a mim não me parece

(em tempos passados havia condições e pouco ou nada se conseguia

(graças à divisão proporcionada pelos sindicatos novos e ditos de empresa).

Pois ve-se que a empresa dá o quer e lhe apetece.

Atos de gestão para todo o sempre.

Depois aparecem os ditos a vangloriarem-se

com o que conseguiram.

Tudo tem o seu preço... ...

(Jorge Fontes - 27-06-2018 13:23)

 

-----------------------------------------------

 

 Meu caro Jorge Fontes Silva, com toda a certeza,

que não é com esse tipo de discurso "castastrofico",

e sempre com os "factos do passado" em punho,

e pronto para "incendiar" qualquer tentativa de "recuperação"

dos ERROS DE UM PASSADO BEM RECENTE

- em que TODOS SÃO CULPADOS

(comigo e contigo, incluídos) -

que vamos a algum lugar.

 

Quanto à minha pessoa,

e como dizes que tens lido estes e outros "post's",

com toda a certeza que, também deverias ter lido, que

ESTOU BASTANTE "INCOMODADO" E "TRISTE"

COM A MINHA GERAÇÃO,

que tudo "herdou" e "beneficiou" da Geração Anterior,

e que agora - na hora de saída - NÃO TEM "NADA"

PARA DEIXAR DE HERANÇA ÀS GERAÇÕES VINDOURAS.

 

É com este "espírito de alma" e, necessariamente,

tendo em consideração a matéria do ACT/EDP 2014

que está em cima da Mesa das Negociações,

que é a Saúde,

que lanço a temática do presente "post".

 

Concluindo,

acho que devo fazer "alguma" coisa.

E, como tal, estou a lançar a "polémica" ...

precisamente para todos conversarmos

sobre a mesma temática.

 

Porque, infelizmente,

se não fôr por aqui (pelas redes sociais),

nos locais de trabalho não se conversa,

não se discute, não se aprova nada,

por inoperância total dos Sindicatos,

e dos interesses "obscuros"

dos seus principais Dirigentes.

Disse.

(Fernando Pêgas - 27-06-2018 14:50)

 

-----------------------------------------------

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:54



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D